O grupo Estado Islâmico publicou um novo vídeo na internet com imagens do jornalista Kenji Goto carregando a foto de Haruna Yukawa. Uma narração dizia que Yukawa tinha sido morto.

Kenji Goto, aparece carregando a foto de Haruna Yukawa, e dizendo que ele foi morto

Kenji Goto, aparece carregando a foto de Haruna Yukawa, e dizendo que ele foi morto

Para a libertação do jornalista Kenji, os radicais impuseram uma nova condição: a libertação de Sajida al-Rishawi, detida na Jordânia por armar uma explosão na capital Amã, provocando a morte de 50 pessoas em 2005.

O vídeo foi divulgado depois das 23h do dia 24 (horário do Japão). “Este sou eu e este é Yukawa que foi morto”, diz Kenji pessoalmente. “Amo minha mulher, quero me encontrar com meus dois filhos. Não façam a mesma coisa. Não desistam, exerçam pressão sobre o governo japonês com a ajuda dos amigos, familiares e toda a sociedade japonesa”, disse Kenji.

No vídeo, que mistura fotos e narrações, a narração diz que o Grupo Islâmico não precisa do dinheiro (inicialmente foi pedido um resgate de US$ 200 milhões), apenas a libertação da radical detida na Jordânia. Sajida al-Rishawi também havia sido citada em troca da vida de um piloto da Jordânia capturado pelo IE em dezembro.

Especialistas do Japão e Estados Unidos tentam confirmar a autenticidade do vídeo, pois o mesmo tem um estilo diferente dos outros divulgados pelo IE.

Comentários

comentário(s)

Pin It on Pinterest