Recentemente uma série de casos de manchas encontradas em templos e santuários têm intrigado a polícia japonesa.

O templo Toji, em Kyoto, onde as manchas foram encontradas. Foto: Mainichi

O templo Toji, em Kyoto, onde as manchas foram encontradas. Foto: Mainichi

Só no dia 12 foram três casos. Um dos mais graves foi descoberto no Templo Touji, registrado como Patrimônio da Humanidade. Várias manchas foram encontradas em 20 locais como paredes e colunas das construções.

Um dia antes, as manchas, que aparentam ser de óleo, foram encontradas espalhadas em forma circular no Santuário Motohira, em Kagawa.

No santuário Izanagi, em Awaji, as manchas estavam nas escadas. Foto: Mainichi

No santuário Izanagi, em Awaji, as manchas estavam nas escadas. Foto: Mainichi

Na manhã do dia 12, um vigia do Santuário Yasaka (Kyoto) – onde é realizado o Festival Gion, constatou também o estrago. O local pode ser visitado livremente durante 24 horas mas na última vistoria, do dia 10, as manchas ainda não estavam lá.

Em Awaji (Hyogo), a polícia encontrou as manchas nas escadas da entrada do Izanagi Jinguu, a cerca de 30 cm de altura.

A polícia está analisando as imagens tiradas pelas câmeras de segurança e investiga os casos como suspeita de danos materiais.

As manchas foram encontradas até agora em 30 templos e santuários de sete províncias.

Comentários

comentário(s)

Pin It on Pinterest