O suspeito pela morte e esquartejamento de estudante em Kobe, visitou sites de pornografia infantil antes do crime

Ilustração mostra a distribuição do apartamento do suspeito, em Kobe (Hyogo). Fonte: Jornal Kobe

Ilustração mostra a distribuição do apartamento do suspeito. Fonte: Jornal Kobe

 

Uma reportagem do Jornal Kobe do dia 24 revelou que o suspeito pela morte da estudante Mirei Ikuta, de 6 anos, visitou sites de pornografia infantil no computador em seu apartamento, um pouco antes de atrair a menina.

 

O histórico dos dados do computador de Yasuhiro Kimino, 47, foram verificados pela Polícia de Hyogo, que investiga o caso. Segundo a reportagem, o suspeito navegou por esses sites entre a manhã e a tarde do dia 11 de setembro, dia em que Mirei desapareceu.

 

“Enforquei a menina com uma corda”, disse Kimino durante as interrogações. A polícia acredita que ele matou a vítima no mesmo dia em que a levou para seu apartamento.

 

Restos de alimentos encontrados no estômago de Mirei indicam que haviam se passado apenas algumas horas depois da última refeição na escola.

 

Depois de enforcar a menina, Kimino revelou que usou uma faca para dividir o corpo em partes.

 

O suspeito foi detido no dia 24 de setembro mas só admitiu o envolvimento no caso depois do dia 20 de outubro. Nessa mesma noite, a polícia tentou reconstruir a cena do crime no apartamento, com a presença de Kimino.

 

Comentários

comentário(s)

Pin It on Pinterest