“Eu devia ter impedido ele de sair aquela noite”, disse a mãe do estudante morto pelos colegas em Kawasaki.

Velório de Ryota em Kawasaki. Foto: Mainichi

Velório de Ryota em Kawasaki. Foto: Mainichi

A mãe do estudante Ryota Uemura, de 13 anos, encontrado morto no rio Tama, em Kawasaki (Kanagawa), escreveu uma carta para falar sobre o caso.

Com a autorização do advogado, o nome do agressor foi trocado pela palavra “suspeito”. Por ser muito longa, algumas partes foram cortadas da tradução.

“Hoje foi o velório de Ryota.

Vendo ele dormir com esse rosto sereno, fico em dúvida se ele morreu mesmo.

Dá a impressão que ele vai acordar e dizer: mãe, estou com fome. Quando estou na cozinha sinto que a qualquer momento ele vai chegar dizendo: tadaima.

Ryota era alegre e muito bonzinho. 

Como eu tinha que trabalhar muito, ele, com aquela idade, ficava cuidando dos irmãos mais novos. 

Quando começou a faltar às aulas fiquei preocupada. Eu pedia pra ele ir. Mas acabava saindo mais cedo de casa para trabalhar e voltava tarde da noite.

Mas parecia estar tudo bem com ele e eu falhei em não arrumar um tempo pra conversar mais, perguntar o por quê de não ir à escola.

Mas agora eu sei que ele apenas fingia estar tudo bem para não me preocupar.

Naquela noite eu tentei impedir que ele saísse, mas deveria ter sido mais enérgica. Vendo os hematomas fico imaginando o tamanho do medo dele. O quanto deve ter doído. Não consigo parar de chorar.

O suspeito foi preso mas Ryota não vai mais voltar. Sobre isso não consigo pensar em nada.

Por último gostaria de agradecer a todos que depositaram flores ou fizeram sua homenagem no rio. E a todos da polícia que me acompanham dia e noite. Eu só tenho a agradecer”.

Local onde o estudante foi encontrado morto. Foto: Mainichi

Local onde o estudante foi encontrado morto. Foto: Mainichi

Comentários

comentário(s)

Pin It on Pinterest