A seta indica o apartamento do suspeito, que fica perto da área arborizada onde foram encontrados as partes do corpo. Foto: Sankei

A seta indica o apartamento do suspeito, que fica perto da área arborizada onde foram encontrados as partes do corpo. Foto: Sankei

Dentro dos sacos de lixo nos quais se encontravam partes dos corpos de uma estudante de 6 anos, a polícia descobriu um toco de cigarro e recibo de um hospital no nome do suspeito, Yasuhiro Kimino. Testes de DNA comprovaram a presença de saliva de Kimino no cigarro.

 

A vítima, Mirei Ikuta, estava desaparecida desde o último dia 11. Kimino estava na lista de suspeitos das polícia, porque foi filmado por uma câmera de segurança, caminhando atrás da menina.

 

Não se sabe se os dois se conheciam. Detido na Polícia da Província de Hyogo, em Kobe, o suspeito guarda silêncio. Kimino é portador de uma carteira de identificação de deficiente mental.

 

No dia 16 os policiais haviam visitado Kimino. Não viram ninguém na sala e não registraram nada anormal.

 

A área arborizada onde as partes do corpo foram encontradas fica próximo ao apartamento do suspeito, num local de pouco acesso. No dia 23, pela primeira vez, um policial detectou o cheiro estranho na área e encontrou os sacos plásticos. Hoje a tarde, a polícia encontrou mais uma parte do corpo (ainda sem o resultado do DNA), só que não estava dentro do saco plástico.

 

FAMÍLIA INCONFORMADA

 

A família de Mirei enviou um comunicado à imprensa expressando o choque causado pela notícia. “Não temos forças para dizer outra coisa. É uma pena, mas o único que nos resta é rezar para que ela descanse em paz”, dizia o comunicado, pedindo também para que os familiares fossem poupados das entrevistas no trabalho ou na casa.

Comentários

comentário(s)

Pin It on Pinterest