O grupo Estado Islâmico publicou um vídeo por volta das 5h do dia 1 no qual mostra o jornalista japonês Kenji Goto sendo decapitado. O governo japonês analisa a autenticidade do vídeo.

Autenticidade do vídeo está sendo analisada pelo governo japonês

Autenticidade do vídeo está sendo analisada pelo governo japonês

Nas imagens, um homem vestido de preto segura uma faca atrás de Kenji ajoelhado. “Nossos soldados estão ávidos por sangue. Abe decidiu participar de uma guerra contra nós então vamos matar Kenji”, disse o homem, com sotaque britânico, colocando a faca no pescoço do jornalista.

“Se encontrarmos algum japonês, faremos isso. O pesadelo só está começando pro Japão”, continua ele, ao lado do corpo. O vídeo tem duração de 1 minuto e tinha a logomarca do IE.

“Sinceramente, a dor é terrível”, disse o primeiro-ministro, Shinzo Abe, ao falar sobre o vídeo da execução de Kenji. Foto: Reuters

“Sinceramente, a dor é terrível”, disse o primeiro-ministro, Shinzo Abe, ao falar sobre o vídeo da execução de Kenji. Foto: Reuters

O Japão havia pedido a ajuda da Jordânia para negociar a libertação de Kenji. No entanto, desde que se descobriu que outro refém, o piloto jordaniano Muath al-Kasaesbeh seria morto se a terrorista Sajida al-Rishawi não fosse entregue ao IE, a Jordânia alterou as negociações, exigindo antes de mais nada a libertação do piloto.

O jornalista Kenji Goto, de 47 anos, estava no norte da Síria, em busca do paradeiro do amigo Haruna Yukawa, que teria sido capturado pelo IE em agosto de 2014. Yukawa, de 42 anos, foi executado alguns dias antes de Kenji.

Posts Relacionados:

Comentários

comentário(s)