Caso da estudante esquartejada em Kobe: restos de alimentos sem digestão revelam que vítima pode ter sido morta logo que desapareceu

Flores são depositadas no local onde foram encontradas as partes do corpo da estudante, em Kobe. Foto: Mainichi

Flores são depositadas perto do local onde foram encontradas as partes do corpo da estudante, em Kobe. Foto: Mainichi

Uma reportagem do jornal Kobe revelou que a estudante Mirei Ikuta, de 6 anos, encontrada esquartejada no dia 23 de setembro, pode ter sido morta no mesmo dia em que desapareceu, no dia 11 de setembro. As provas se baseiam nos restos de alimentos encontrados no estômago da menina. A Polícia de Hyogo deve usar esses dados para determinar o dia da morte.

Partes do corpo de Mirei foram encontrados dentro de sacos plásticos num terreno baldio, perto do apartamento do suspeito, Yasuhiro Kimino, 47, em Kobe.

A refeição servida na escola de Mirei, no dia 11 de setembro, incluía macarronada com molho de carne moída, pão, soja frita e uvas. A estudante teria comido tudo.

Na autópsia, foram encontrados restos de pão e macarrão que ainda não tinham sido digeridos, no estômago da vítima.

Geralmente o estômago leva algumas horas até digerir completamente massas.

A Polícia de Hyogo não conseguiu determinar a causa direta da morte de Mirei, mas o período da morte foi determinado entre os dias 11 e 18 de setembro.

Posts Relacionados:

Comentários

comentário(s)