Trancar na mala, colocar no saco plástico… pais despreparados cometem erros ao educar as crianças

Equipe que buscava Yamato aplaude ao saber que o menino foi encontrado. Foto: Sankei

Equipe que buscava Yamato aplaude ao saber que o menino foi encontrado. Foto: Sankei

O recente episódio registrado em Hokkaido, no qual um menino de 7 anos foi resgatado com vida após passar seis dias desaparecido na floresta, trouxe à tona a questão dos castigos impostos pelos pais para educar os filhos no Japão.

Imagem: bonvoyage-tokyo.jp

Imagem: bonvoyage-tokyo.jp

Na opinião de especialistas, não são poucos os pais que precisam de algum tipo de orientação para educar seus filhos, porque quando a bronca ou castigo vão longe demais, tornam-se abusos.

No caso de Takayuki Tanooka, ele simplesmente queria ensinar ao filho que jogar pedras em pessoas e carros era algo errado. Levou apenas 5 minutos para deixar o garoto na entrada de uma floresta, como uma forma de punição. Quando voltou para buscar, deu-se conta da gravidade da situação. “Fui longe demais e fiz meu filho sofrer tanto”, disse em entrevista coletiva depois de um pesadelo que levou seis dias, mas que poderia ter tido um desfecho pior.

“Existem ocasiões em que você tem de ser rígido com a criança, mas nunca deve deixá-la sozinha em local perigoso”, disse o especialista em Bem-Estar Infantil Hidehiko Kawazu (Universidade Shukutoku), em entrevista ao jornal Sankei.

“Alguns pais chegam a aplicar castigos que podem colocar em risco a vida do filho”, diz o diretor da Associação de Prevenção aos Abusos contra Crianças de Osaka, Tetsuro Tsuzaki.

O caso de uma criança de 2 anos que morreu sufocada dentro de uma mala de viagem e outro de um menor de 3 anos que também morreu dentro de um saco plástico, tiveram como causa o “castigo” imposto pelos pais.

Segundo Tsuzaki, esses episódios ocorrem geralmente quando os pais têm dificuldade para se comunicar com os filhos, recorrendo às atitudes em vez das palavras. “Antigamente os avós e outras pessoas da família participavam na educação, com broncas e elogios. Hoje as famílias são menores e os pais não têm ninguém para orientá-las”.

O que fazer quando a criança não obedece?

Tsuzaki propõe a divulgação de informações corretas para os pais. Seja em forma de avisos através das secretarias de educação ou em conjunto com a escola.

Qual a melhor forma de educar? “Elogiar é a base. Incentive a criança a desenvolver suas qualidades”, aconselha o diretor. Quando precisar recriminar alguma atitude, jamais rejeite o caráter da criança e sim, o “ato” em si.

Os dez mandamentos na hora da bronca:

  1. O que está errado, está errado. Ensine isso em palavras simples, mas firme.
  2. Se persistir, seja mais firme quando o erro se repetir.
  3. Não rejeite o caráter da criança, mas a atitude errada.
  4. Seja disciplinado. Não deixe para dar bronca dependendo do seu estado emocional.
  5. Pai e mãe devem estar de acordo na hora da bronca.
  6. Mostre de forma clara o que a criança deve fazer.
  7. Não compare com outras crianças.
  8. Recrimine “esse” erro. Não estenda a conversa para outras coisas.
  9. Se perceber que a criança se arrependeu, não fique repetindo a bronca.
  10. Jamais se esqueça que a violência destrói a relação com a criança.

Fonte: Centro de Educação de Osaka

Silvia in Tokyo

Posts Relacionados:

Comentários

comentário(s)