Especialistas recomendam não usar protetor solar do ano anterior

Cosméticos com proteção solar têm prazo de validade curto. Foto: josei-bigaku.jp

Cosméticos com proteção solar têm prazo de validade curto. Foto: josei-bigaku.jp

Uma pesquisa realizada pela empresa de cosméticos decencia constatou que 76% das mulheres que saíram para passear no feriado da Golden Week usaram as sobras de cremes protetores solares do verão anterior.

No Japão, onde as estações do ano são bem definidas, não são poucas as mulheres que deixam sobrar os cremes com proteção solar para reaproveitar na próxima temporada.

Rápido envelhecimento

Foto: bg-mania.jp

Foto: bg-mania.jp

O que poucas pessoas sabem, no entanto, é que os cosméticos que contém tratamento para evitar a ação dos raios ultravioletas tem pouco tempo de validade.

Uma vez aberto, o produto oxida rapidamente, dando chances para o acúmulo de impurezas e bactérias.

Ou seja, ao invés de proteger a pele, o creme acaba prejudicando em certos casos, com sintomas como ressecamento e envelhecimento precoce.

Se a data de validade estiver escrita no recipiente, respeite. Se não encontrar nada impresso, o ideal é jogar fora depois de um ano. Os produtos lacrados costumam durar no máximo três anos.

Os dermatologistas japoneses consideram o mês de maio como a época em que a pele fica mais sensível à exposição do sol, depois do período de descanso do inverno.

A pesquisa foi realizada entre 303 mulheres, pela empresa decencia

Como se diz em japonês?

  • Protetor solar: hiyakedome (日焼け止め)
  • Sobra, resto: nokori (残り)
  • Pele: hada (肌)

Posts Relacionados:

Comentários

comentário(s)

Pin It on Pinterest