Medidas incluem checagem nos aeroportos e obrigatoriedade de avaliação da saúde a todas as pessoas que regressam de países com surto de ebola

Sede do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar, em Chiyoda (Tokyo). Foto: Mainichi

Sede do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar, em Chiyoda (Tokyo). Foto: Mainichi

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão tornou obrigatório a avaliação da saúde para as pessoas que regressam de três países do oeste africano, onde há grande incidência de ebola: Guiné, Libéria e Serra Leoa. A checagem do estado da saúde deve ser feita nas três semanas seguintes após o retorno ao Japão e o resultado deve ser informado diariamente ao Escritório de Quarentena.

 

Outra lei, aprovada em agosto, obriga a notificação do estado de saúde (presença de febre e outros sintomas) ao Escritório de Quarentena a todos os passageiros de aviões que tiveram contato com vítimas da ebola em Guiné, Libéria, Serra Leoa, Nigéria e Congo.

 

Cartazes avisam os passageiros que desembarcam de voos vindos da África para o ebola. Foto: http://totalwar.doorblog.jp/

Cartazes avisam os passageiros que desembarcam de voos vindos da África para o ebola. Foto: http://totalwar.doorblog.jp/

No medida anunciada no dia 21, o governo japonês decidiu tornar obrigatório a avaliação da saúde mesmo para as pessoas que não tiveram contato direto com pacientes do ebola.

 

Durante o período de verificação, torna-se necessário ligar duas vezes ao Escritório de Quarentena. Ao menor de sinal de sintomas como febre, diarreia, enjoo ou vômito com hemorragia, é indicado a consulta médica.

 

Quem mentir ou ignorar o relatórios diários será punido com multas de até ¥ 500 mil (R$ 11.579,66) ou prisão de até 6 meses.

Posts Relacionados:

Comentários

comentário(s)