Aos 82 anos de idade, Akihito reconhece que as condições de saúde tornam difícil desempenhar todas as funções

O imperador Akihito confirmou publicamente na tarde do dia 8, a vontade de abdicar devido à idade avançada e as condições da sua saúde que impedem de exercer plenamente as funções do seu cargo.

Vista aérea da Agência da Casa Imperial, em Tokyo. Foto: Kyodo

Vista aérea da Agência da Casa Imperial, em Tokyo. Foto: Kyodo

Em uma mensagem por vídeo, Akihito, expressou a preocupação de que “algum dia” poderia encontrar dificuldades para desempenhar suas tarefas.

No vídeo de 10 minutos gravado no Palácio Imperial, Akihito evitou referir-se de forma direta ao procedimento de abdicação porque a legislação da Agência da Casa Imperial não permite. Para que o imperador possa passar o Trono do Crisântemo ao seu filho, Naruhito, o Parlamento japonês teria que aprovar uma reforma na lei atual.

Aos 82 anos de idade, esta é a segunda vez que Akihito faz um pronunciamento público. A primeira vez foi em 2011, após o terremoto e tsunami que atingiu o leste do país.

Jornais extras trazem a mensagem do imperador. Foto: Jiji Press

Jornais extras trazem a mensagem do imperador. Foto: Jiji Press

“Há momentos em que sinto muitas limitações devido a minha condição física. Quando um imperador fica doente ou seu estado de saúde é grave, me preocupa que, como aconteceu no passado, a sociedade fique estagnada ou a situação possa causar impacto na vida das pessoas. Às vezes me pergunto como seria possível evitar essa situação”, destacou.

Desde que foi vítima de um câncer de próstata, em 2003, Akihito vem fazendo uma série de tratamentos médicos. Em 2011 foi vítima de pneumonia e um ano mais tarde foi submetido a uma cirurgia de bypass do coração.

Depois de ouvir o discurso do imperador, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse que o governo avalia “seriamente” as palavras de Akihito e que buscará uma forma de cumprir a vontade do monarca.

Posts Relacionados:

Comentários

comentário(s)